Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Direção Regional da Cultura classifica Ermida de Santa Bárbara de Interesse Público
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

O Movimento para a Recuperação da Ermida de Santa Bárbara mostrou-se ontem satisfeito com a possibilidade de aquele templo vir a ter classificação de interesse público.


O coordenador do movimento, Kevin Vieira, afirmou que a classificação de interesse público deste templo é mais um objetivo alcançado. “Desejamos que esta classificação vá a bom porto”, afirmou. Contactada pelo Açoriano Oriental, fonte da autarquia povoacense afirmou que é “com bons olhos” que a câmara vê a classificação de interesse público da Ermida de Santa Bárbara, tendo mesmo salientado que esta classificação permitirá a valorização do património e reforçar a ideia de primeiro povoado da ilha de São Miguel.

Foi ontem publicado um aviso a notificar “todos os interessados (...) sobre eventual classificação de interesse público da Ermida de Santa Bárbara, situada na freguesia da Povoação, concelho da Povoação, ilha de São Miguel, cujo processo arrancou por iniciativa do Movimento para a Recuperação da Ermida de Santa Bárbara”. Apresentado há cerca de um ano, o Movimento para a Recuperação da Ermida de Santa Bárbara continua a trabalhar para atingir os objetivos a que se propôs: a publicação de uma banda desenhada de cariz pedagógico, a classificação da ermida como monumento de interesse histórico, através da Direção Regional da Cultura, a realização de diversas campanhas de sensibilização junto da população, a criação de uma página web sobre o templo, a realização de um levantamento fotográfico e documental do mesmo, entre outras atividades. “As peças da ermida já estão a ser salvaguardadas, houve angariação de fundos que servirá para ajudar nas obras da sua recuperação e a banda desenhada foi publicada no Terra Nostra em setembro”, revelou.

A Ermida de Santa Bárbara continua a servir de arrecadação ao cemitério do concelho da Povoação e a necessitar de obras muito profundas que incluem retoques nas paredes, pavimentação do chão e recolocação do teto, por forma a recuperar o seu estatuto.

Para Kevin Vieira, apesar da população estar mais esclarecida e mostrar vontade em recuperar este templo, a atual conjuntura económica tem dificultado a angariação de verbas.

Octávio Medeiros, pároco da Igreja da Mãe de Deus na Povoação, considera que a falta de “sensibilidade, quer da Igreja, quer das entidades”, e que a publicação ontem do aviso vem trazer alguma esperança de forma a resolver o estado de abandono em que este se encontra. “Antigamente havia lá missa todas as quartas-feiras, mas agora está tudo abandonado”, diz com tristeza, acrescentando: “deixaram que aquilo fosse tudo vandalizado a nível de espólio e agora resta a imagem e não tem mais nada”.

• Ermida com cinco séculos de história na Povoação

A Ermida de Santa Bárbara, o mais antigo templo religioso da ilha de São Miguel, construído no século XV, foi edificada no local onde os primeiros povoadores celebraram a primeira eucaristia na ilha após o seu povoamento e descoberta. A ermida foi construída por Mateus Dias, descendente da família de Jorge Velho, um dos primeiros povoadores. Ao longo dos anos a ermida sofreu alterações devido aos desastres naturais que assolaram a ilha. A última transformação realizou-se em finais do século XIX, após ter ficado severamente destruída pelo tremor de terra de 1879. Nos anos 80 do século XX, o presidente da Câmara da Povoação, Medeiros Ferreira, sensibilizado para o facto de a Ermida se encontrar em mau estado de conservação mandou recuperar parte da mesma.

ANA CARVALHO MELO
In Açoriano Oriental, dia 27 de Março.

Voltar atrás